terça-feira, 7 de maio de 2019

Um jogo da terceira divisão do Espanholão



Outra experiência que tive na minha viagem de férias à Espanha foi assistir um jogo da terceira divisão local. A partida foi entre a Cultural Leonesa, o time da cidade de León, e o Salamanca.

A Culural Leonesa é um time bem pequeno, até proporcionalmente inferior à relevância da cidade em que está sediado. Eu confesso que nunca tinha ouvido falar da equipe até viajar à cidade. Pesquisando posteriormente, vi que jogou a primeira divisão da Espanha em uma única ocasião, na temporada 1955/56, e que enfrentou recentemente o Barcelona pela Copa do Rei.

Já o Salamanca, embora tenha um nome mais familiar para nós brasileiros, não é exatamente o mesmo time que esteve na elite espanhola até tempos recentes. Trata-se de um clube novo, que herdou a história do antigo após a falência em 2013.

A experiência de ver um jogo na terceira divisão na Espanha foi marcada por elementos contraditórios, curiosos mesmo, que dificultam o estabelecimento de um pensamento único, um "a tereira divisão espanhola é assim".

Comecemos pelos aspectos mais modernos, mais avançados. O estádio da Cultural Leonesa, o Reino de León, é de qualidade média, digamos assim. A capacidade é de 13 mil torcedores. No contexto espanhol, certamente está entre os piores, o mais fraco de todos os que visitei na viagem. Mas no Brasil, ganha da maioria dos campos (exceção feita, claro, às arenas modernas). Boa acessibilidade, visão do gramado adequada, cadeiras em todos os setores, circulação boa. A camisa da Cultural é belíssima - e o preço, 60 euros, indica que não se trata de um produto "de terceira divisão". Outro aspecto positivo do jogo foi o clima integralmente pacífico. Embora houvesse uma separação formal entre as torcidas, o ambiente estava tão sossegado que nem revista houve na entrada ao estádio.

Já a parte "raiz" vem de vários elementos. A começar pelo placar: tal qual os campos do interior do Brasil, lá as equipes são especificadas como Cultural Leonesa e o épico VISITANTE. Só não dá para dizer que é 100% analógico porque há visor digital no número de gols e também no tempo. A corneta foi também bem tradicional: a torcida da Cultural só abriu a boca para vaiar o time, mesmo com a equipe tendo buscado um empate aos 48 do segundo tempo! Assim que o juiz decretou o fim do jogo, a torcida irrompeu num grito de "FUERA! FUERA!" que preencheu todo o estádio.

Outro componente tradicional foi o comportamento da torcida do Salamanca. Em contraste com a nulidade mostrada pelos adeptos da Cultural, os salmantinos tiveram aquele perfil típico das torcidas visitantes, espremidos num canto e incentivando a equipe o tempo todo. De respeitar.

Falando de futebol, o jogo, como previsto, foi fraco. O Salamanca fez 1x0 em um gol de pênalti e o empate da Cultural veio, como já dito, aos 48 do segundo tempo, num gol de cabeça. As equipes optaram pelo 4-2-3-1 - o esquema da ampla maioria dos times de hoje em dia - mas não encantaram com jogadas ensaiadas, velocidade, individualidade, nada disso. A terceira divisão espanhola está na reta final e Cultural Leonesa e Salamanca não estão na zona do acesso. Ficarão na Série C mais um ano.

Quem gosta de futebol sabe que ver uma partida no estádio é sempre uma experiência bacana. Quando se soma o contexto da partida com o conhecimento de uma nova realidade (e o ambiente de viagem!), fica tudo melhor ainda.

Nenhum comentário: